Atendimento de segunda a sexta, das 8h às 20h e sábado das 8h às 12h


  Contato : Telefone: (21) 3411-1001 | Whatsapp: (21) 98552-2020

Prótese dentária fixa: tire suas dúvidas

Prótese dentária fixa: tire suas dúvidas

Perder um ou mais dentes é um incômodo que só quem já teve sabe como é. É inconveniente tanto do ponto de vista estético — por comprometer o sorriso e a fala —, como pela sensação de ter um dente faltando na boca. É aí que entra a importância da prótese dentária fixa, que pode devolver à pessoa sua autoestima e substituir o dente perdido.

Embora a estética seja um dos motivos que mais levam as pessoas a escolher a prótese fixa, seus benefícios vão além disso. Ela também ajuda na manutenção da função mastigatória, fazendo com que o paciente se alimente confortavelmente e recupere a capacidade de articular as palavras e os sons.

Para você, que está interessado em saber mais sobre o assunto, preparamos este material. E não vai ficar nenhuma dúvida. Confira!

O que é uma prótese fixa?

É uma forma — unitária ou parcial — de repor dentes perdidos. Ela é fixa, ou seja, após instalada, não pode ser retirada. Resumindo, é um substituto do dente em caso de perda ou grande destruição, sendo possível devolver a aparência natural do sorriso e a habilidade de mastigar, sorrir ou falar. Existem quatro tipos de próteses fixas:

  • Coroa: prótese fixa mais utilizada, em que o dente é preparado para receber uma coroa ao redor dele. Geralmente, é feita em cerâmica ou metal.
  • Ponte: se há perda completa do dente, usa-se a ponte para substituí-lo com a ajuda de outros dentes.
  • Bloco: quando há a preservação da maior parte do dente, o bloco restaura o elemento dentário em falta.
  • Prótese fixa sobre implante: funciona como a coroa ou a ponte, mas a prótese nesse caso não é feita sobre o dente, e sim sobre um implante dentário.

Quando ela é necessária?

Quando é preciso reabilitar a função mastigatória, a estética facial e a fonética do paciente. Geralmente, esses são os motivos que mais levam as pessoas a colocar uma prótese fixa. Algumas causas podem levar o paciente a perder a estrutura dentária, sendo necessária a colocação da prótese. São elas:

  • cárie muito extensa;
  • fraturas;
  • quebras no dente;
  • recuperação do dente em tratamento de canal.

Nunca é tarde para ter o sorriso que sempre quis

Quais são os materiais que compõem as próteses fixas?

As próteses fixas podem ser feitas de diversos materiais. Dentre eles, os mais usados são metal com porcelana, porcelana pura e infraestrutura livre de metal.

Dentre elas, as mais resistentes são aquelas de metal com porcelana, que não sofrem alteração de cor com o passar do tempo e têm ótima durabilidade e resistência ao desgaste.

Já as de porcelana pura são as que apresentam melhor resultado estético, com grande translucidez, semelhante à dos dentes naturais. Além disso, são muito resistentes, têm ótima durabilidade e não mudam de cor com o tempo.

Por fim, há as de metal-resina, cuja estrutura metálica é extremamente durável, mas que têm a desvantagem de sofrer desgaste com o tempo e uma leve mudança de cor.

Podem ocorrer problemas de adaptação?

É normal que a pessoa se sinta um pouco desconfortável no início, devido ao novo padrão mastigatório. Porém, aos poucos, ocorre uma acomodação, e o desconforto desaparece. Também pode ser necessário iniciar um tratamento fonoaudiológico, caso o paciente tenha passado muito tempo sem os dentes.

Esse tratamento trabalhará o tônus e a postura muscular da língua, lábios e bochechas com a finalidade de melhorar a adaptação. Abaixo, você pode conferir algumas dicas que ajudarão nesse período:

  • evitar alimentos muito duros;
  • treinar a dicção lendo livros, jornais e revistas em voz alta e na frente do espelho;
  • comprar produtos de higienização específicos para prótese dentária;
  • evitar alimentos com muito corante, que pode comprometer a coloração da prótese.

Quanto tempo dura uma prótese dentária fixa?

Além da qualidade do material e sua resistência, a durabilidade de uma prótese dentária fixa depende de alguns fatores. São eles:

  • boa avaliação inicial;
  • planejamento correto;
  • boa técnica do protesista;
  • materiais de primeira linha;
  • correto preparo do dente que receberá a prótese;
  • adequação entre a prótese e os dentes vizinhos;
  • espaço suficiente;
  • higiene e manutenção;
  • visitas regulares ao consultório dentário.

Esse conjunto de fatores permitirá que a prótese dentária fixa dure mais de cinco anos, que é o seu tempo médio de vida.

Qual é a forma correta de cuidar?

Os pacientes que usam prótese dentária fixa devem ter cuidado redobrado com a higiene bucal. Ela precisa ser escovada regularmente, inclusive com escovas especiais, como as interdentais, que são específicas para dentes muito unidos. As escovas de tufo também são indicadas, já que, com elas, é possível a limpeza entre a prótese e o dente de suporte.

Recomenda-se também o uso do passa-fios, que ajuda a limpar a área debaixo dos dentes unidos das próteses. Esses cuidados são importantes não apenas para a durabilidade da prótese, mas na prevenção de problemas periodontais — periodontite e gengivite —, assim como cárie secundária na região.

visita ao dentista também deve ser regular, pois, durante as revisões com o cirurgião-dentista, serão feitos exame de apuração clínica; profilaxia de rotina; exames radiográficos, para avaliar a adaptação; e raspagem, para a remoção de tártaro. O ideal é realizar retornos periódicos de, no máximo, seis meses.

É possível comer normalmente?

Assim como os dentes naturais, as próteses dentárias fixas suportam bem os esforços mastigatórios. Por isso, comer não precisa ser motivo de preocupação. Porém, é óbvia a necessidade de cuidados especiais, principalmente quando a implantação for recente. Dentre os alimentos mais indicados nessa fase, estão os pudins, sopas e líquidos em geral.

Após um tempo, quando passar a fase de adaptação, será possível incluir uma maior variedade de alimentos na dieta — inclusive duros, como milho e maçã. De início, porém, você pode começar pelos legumes cozidos, peixes, carne picada, sorvetes, ovos e queijo.

Quanto à carne vermelha, quanto mais fácil de mastigar, melhor. Por isso, você pode guisá-la ou cozinhá-la até ficar na consistência adequada.

Muito cuidado com os restos de alimentos, que podem causar irritações e, se não houver higienização regular, provocar cáries e outras doenças bucais. Além disso, coma devagar e mastigue bem os alimentos, para que a prótese fique mais segura.

Como é o tratamento?

O tratamento pode variar de acordo com cada paciente e com os elementos que compõem a prótese. No caso da fixa para apenas um dente, o paciente passa pelo preparo do dente e confecção do provisório. Em seguida, a moldagem, a prova da prótese e a cimentação.

Uma dúvida que muita gente tem é sobre a necessidade de tratar canal antes do início do tratamento. A ausência do canal em dentes com cáries ou fraturas dificulta a sustentação de próteses fixas. Sendo assim, o canal só é indicado nesses casos, quando um pino metálico é instalado com a finalidade de aumentar a resistência do dente e, em algumas situações, corrigir mal posicionamento do mesmo.

Algumas vezes, pode ser necessário fazer um retratamento de canal, que é indicado quando o dentista precisa fincar um pino protético de sustentação para a prótese internamente aos canais dentários. Veja abaixo as situações mais comuns que indicam o canal para uso de próteses dentárias.

Presença de lesões indicativas de lesões ósseas

Algumas vezes, ao realizar exames radiográficos, o paciente pode apresentar imagens incompatíveis com a saúde óssea. É o caso de lesões inflamatórias crônicas, localizadas muitas vezes no ápice das raízes de dentes tratados anteriormente por canal.

Comprimento inadequado do tratamento

Indicado quando o tratamento de canal não atinge o comprimento ideal dentro das raízes dentárias. O ideal é que o canal termine ao final das raízes, porém, nem sempre isso acontece. Embora seja contra a norma, o comprimento inadequado pode até ser suficiente para acabar com dores e inflamações, mas é incompatível com a instalação dos pinos protéticos, que servem de suporte para as próteses fixas. Por isso, o retratamento deve ser feito.

Dentes fraturados e com cáries

As fraturas dentárias — por trauma ou fragilidade proveniente de cáries — podem colocar o canal em contato com o meio bucal, inviabilizando o tratamento. Por isso, em regra, quando há exposições acima de 30 dias, recomenda-se o retratamento para o uso com próteses fixas.

Como é o resultado estético?

No geral, o resultado estético é muito bom, principalmente se o material utilizado for de qualidade. Porém, há casos em que há grande perda óssea, dificultando uma estética excelente.

Quando isso acontece, o profissional produzirá uma prótese dentária fixa com aparência semelhante ao dente natural, avaliando minuciosamente a resina e a cor da cerâmica. É importante lembrar que, em todos os casos, o tratamento tem como objetivos restabelecer a função da mastigação, a durabilidade e a estética, respectivamente.

Há casos em que não é possível fixar uma prótese?

Sim, pois são necessários alguns requisitos, como a avaliação dos princípios biomecânicos — que garantem a retenção, a resistência e a estabilidade. As próteses fixas unitárias, por exemplo, precisam de uma estrutura do dente remanescente para que haja uma boa fixação. Já no caso das parciais, é necessário ter dentes de suporte suficientes, pois eles ajudam a fixar a prótese.

Isso significa que, se houver poucos dentes para servir de suporte, a prótese parcial fixa não é indicada, já que há risco de ela não conseguir se fixar. Então, se a pessoa perdeu muitos dentes ou tem poucos para servir de suporte, há contraindicação para a prótese parcial fixa.

Como você pôde notar, a instalação de prótese dentária fixa é segura e, nos casos indicados, devolve a autoestima e a saúde bucal das pessoas. Mas é importante que esse tratamento seja feito com profissionais habilitados e materiais de qualidade. Dessa forma, o resultado será o esperado, principalmente do ponto de vista estético.

E então, o que achou deste conteúdo? Ele conseguiu tirar suas dúvidas sobre prótese dentária fixa? Compartilhe com a gente sua opinião deixando um comentário no post!

Deixe uma resposta