Atendimento de segunda a sexta, das 8h às 20h e sábado das 8h às 12h


  Contato : Telefone: (21) 3411-1001 | Whatsapp: (21) 98552-2020

Aparelho ortodôntico: qual é a melhor idade para que o meu filho comece a usar? 

Os aparelhos ortodônticos mudaram a vida de muitos pacientes e, por isso, são uma das principais vantagens que a ciência, aplicada na área da saúde (nesse caso, da saúde bucal), trouxe para as pessoas.

Desde que foram criados, os aparelhos vêm sendo aperfeiçoados e, atualmente, existem diversos tipos e modelos, cada um destinado a determinado perfil de paciente, com seus estilos de vida, demandas e gostos. Os aparelhos transparentes, por exemplo, ganharam a preferência dos adultos, enquanto boa parte das crianças ainda prefere os aparelhos metálicos e suas borrachinhas coloridas.

Seja qual for o modelo, os aparelhos desempenham funções importantíssimas para a saúde e o bem-estar dos pacientes. Além de melhorar a estética bucal, esses aparelhos são mecanismos que corrigem problemas funcionais, como desvios de mordida. Problemas esses que, se não corrigidos, podem trazer estresse nos músculos faciais, gerando dores de cabeça, pescoço, maxilares e até mesmo nas costas.

Aparelho fixo e móvel: seu guia completo e gratuito aqui!

Hoje, ninguém mais questiona a importância dos tratamentos ortodônticos, no entanto, alguns pais ainda têm dúvidas sobre quando iniciar esses tratamentos nos seus filhos. Neste artigo, você tira essa e outras dúvidas sobre os aparelhos e, assim, pode tomar as decisões corretas para você e sua família.

Por que usar um aparelho ortodôntico?

Quando falamos sobre aparelhos ortodônticos, as pessoas imediatamente pensam na importância estética desses tratamentos. No entanto, a ortodontia não se limita apenas a esse aspecto, mas desempenha outras funções, ligadas à saúde e ao bem-estar dos pacientes.

Sendo assim, antes de abordarmos as vantagens estéticas dos tratamentos ortodônticos (que, de fato, são muitas e fundamentais para a vida e a autoestima das pessoas), veremos como as correções previnem problemas relacionados à saúde.

Prevenção de cáries e tártaros

Quando os dentes e ossos maxilares estão mal posicionados, os aparelhos agem com o objetivo de corrigi-los, adequando dentes tortos e/ou apinhados e encaixando aqueles dentes que não puderam ser encaixados naturalmente em seu lugar ideal.

Essas correções são uma forma eficaz de prevenir problemas como cáries e tártaros, já que os dentes tortos são muito mais difíceis de limpar, aumentando, assim, o acúmulo de restos de alimentos, mesmo que o paciente se esforce e mantenha sua higiene bucal em dia.

A dificuldade em realizar a limpeza total nos dentes é um problema que já traz consequências a curto prazo, fazendo com que os pacientes comecem a sofrer com as cáries ainda crianças. Por isso, postergar o tratamento ortodôntico não é uma boa ideia, já que a saúde dos dentes pode ser prejudicada.

Prevenção de dores de cabeça, nos maxilares, ombros e costas

O mau posicionamento dos dentes, além de ser um dos problemas estéticos que mais incomoda os pacientes, prejudica a mastigação, causando, assim, um estresse nos músculos. Esse estresse, por sua vez, pode desencadear dores de cabeça, dores na região do pescoço e do ombro e até mesmo dores nas costas.

Por tudo isso, um dos sintomas mais comuns naqueles que precisam de um tratamento ortodôntico (além do fator estético, claro) é, justamente, a presença dessas dores de forma recorrente, especialmente durante ou após as mastigações.

Melhoras na Dicção e Respiração

O desalinhamento dos dentes e outros quadros, como, por exemplo, os desvios de mordida, também influenciam na dicção e na respiração dos pacientes, sendo que, em alguns casos, realizar essas funções com normalidade passa a ser tarefa difícil.

Ao corrigir a posição dos dentes, ossos e maxilares, os tratamentos ortodônticos conseguem agir na dicção e na respiração, solucionando problemas ligados a essas funções. Não são raras as vezes em que os pacientes sentem uma melhora considerável de vida por conseguirem respirar e falar com mais facilidade após passarem por tratamentos desse tipo.

Melhoras na digestão

Os dentes mal posicionados não cumprem adequadamente a função de triturar e mastigar os alimentos, que são ingeridos sem estarem bem processados. Essa falha faz com que o sistema digestivo seja mais exigido, o que pode gerar problemas estomacais e digestivos.

Funções estéticas

Como dissemos, os pacientes tendem a procurar os tratamentos ortodônticos devido às insatisfações com a estética de seus sorrisos e, depois do tratamento, conseguem sentir também todos os benefícios citados acima, relacionados, sobretudo, à saúde e ao bom desempenho das funções ortodônticas.

O impacto positivo na estética bucal é, sem dúvidas, uma das principais vantagens dos aparelhos ortodônticos e esse impacto é fundamental para a autoestima dos pacientes que, em alguns casos, têm a vida social e o equilíbrio emocional prejudicados devido à aparência dos seus sorrisos.

Ao transformarem a estética dos pacientes, corrigindo problemas de alinhamento e apinhamento (no vocabulário popular, problemas como dentes “tortos” ou “encavalados”), os tratamentos ortodônticos contribuem para melhorar a autoestima dos pacientes, que passam a sorrir sem sentir vergonha da própria aparência. Essa melhora na autoestima é um fator essencial, tanto para crianças, como adolescentes e adultos.

Como funcionam os aparelhos ortodônticos?

Atualmente, existe uma enorme diversidade de aparelhos ortodônticos, dos quais falaremos mais detalhadamente ao longo deste artigo. Ainda assim, todos cumprem basicamente as mesmas funções e têm como objetivos centrais mover os dentes, alterando o crescimento da mandíbula e da maxila através de uma pequena – e contínua – pressão sobre dentes e ossos.

Para conhecer os principais tipos de aparelhos ortodônticos, vale ressaltar que eles são divididos em duas categorias principais: os aparelhos ortodônticos fixos e os aparelhos ortodônticos móveis, sendo que cada uma dessas categorias age de uma forma específica para cumprir a função de mover e alinhar os dentes.

Aparelhos ortodônticos fixos: quais são e como é o tratamento?

Os aparelhos ortodônticos fixos são aqueles que estão “colados” nos dentes. Ou seja, durante todo o tratamento, o paciente permanece com o aparelho fixado nos dentes, sem a opção de retirá-los para comer ou higienizar.

Os fixos são compostos por bráquetes – pequenas peças de formato quadrado que ficam em cada dente –, as chamadas borrachinhas e o fio de metal que une todos os componentes do aparelho.

Os aparelhos fixos tradicionais são aqueles feitos em metal. Esse tipo de aparelho, bastante popular décadas atrás, é o que gerou os chamados “sorrisos metálicos” que, ainda hoje, são os preferidos por algumas pessoas.

Além dos metálicos, existem opções de aparelhos fixos transparentes, confeccionados em porcelana ou em safira. A grande diferença entre esses modelos transparentes e o convencional é que, nos primeiros, os bráquetes e os fios são transparentes, dando ao tratamento uma estética menos invasiva e mais sutil.

A eficácia e o funcionamento dos aparelhos transparentes são as mesmas dos tradicionais. O que muda é, sobretudo, o fator estético, já que, ao usar a porcelana monocristalina ou a safira, os bráquetes do aparelho acabam se misturando mais facilmente à tonalidade original dos dentes, fazendo com que o aparelho esteja em menor evidência.

Veja tratamentos ortodônticos

 

Aparelhos ortodônticos móveis: quais são e como é o tratamento?

Os aparelhos ortodônticos móveis são aqueles removíveis, ou seja, que o paciente tem a opção de retirá-los para comer, escovar os dentes e quando mais for necessário. Essa comodidade faz com que os aparelhos móveis sejam os mais procurados pelos pacientes.

Geralmente, os aparelhos móveis têm como finalidade realizar pequenos movimentos na boca do paciente, através de uma pequena e constante pressão nos dentes, ossos e maxilares.

Existem diferentes tipos de aparelhos móveis, sendo que eles podem ser divididos em duas categorias: os removíveis e os de contenção. Embora ambos sejam utilizados nos tratamentos de correção ortodôntica, existem diferenças entre eles, já que os de contenção são usados, majoritariamente, para complementar o tratamento iniciado com aparelhos fixos.

Hoje em dia, os principais aparelhos ortodônticos móveis são:

alinhadores transparentes;

– mantenedores de espaços;

– aparelhos reposicionadores de mandíbulas;

– amortecedores de lábios e bochechas;

– expansor palatino;

– aparelhos de contenção;

– o aparelho extrabucal.

Cada um desses aparelhos desempenha uma determinada função corretiva e, portanto, são utilizados segundo as demandas dos pacientes e as etapas do tratamento ortodôntico pelas quais precisam passar.

Uma das maiores novidades entre os aparelhos ortodônticos móveis é o Invisalign, que utiliza tecnologia moderna para corrigir problemas estéticos e funcionais, simples e complexos.

O Invisalign utiliza placas removíveis de poliuretano transparente, feitas segundo as medidas da arcada dentária dos pacientes, levando em consideração quais são os aspectos que precisam de correção. As correções são feitas através de alinhadores transparentes, que são substituídos periodicamente, possibilitando, dessa forma, a movimentação dentária e, consequentemente, a correção dos problemas ortodônticos.

Quando falamos sobre aparelhos ortodônticos móveis, é preciso destacar dois fatores essenciais:

  1. O sucesso desse tratamento depende, em grande parte, da responsabilidade e comprometimento do paciente. Sendo assim, é fundamental utilizar o aparelho pelo número de horas diárias determinadas pelo dentista. Caso o paciente não siga as orientações do profissional e use o aparelho por menos tempo que o recomendado, o tratamento poderá ser prejudicado e/ou retardado.
  1. Embora a maioria das pessoas prefira aparelhos móveis, é o dentista quem deve decidir o que é melhor e mais eficaz para o seu paciente. Essa escolha é feita após a análise dos dentes, ossos e maxilares dos pacientes, na etapa prévia do tratamento, onde se realizam estudos diagnósticos para decidir, entre outros aspectos, qual tipo de aparelho será mais eficaz.

 

Qual é a melhor idade para que o meu filho comece a usar aparelho?

Essa é uma dúvida recorrente entre os pais. Quando fazemos uma rápida busca pela internet, aparecem informações contraditórias sobre qual é a idade ideal para que as crianças iniciem o tratamento ortodôntico.

Afinal, é necessário esperar até a adolescência ou a vida adulta para corrigir problemas ortodônticos? Não. A correção pode começar ainda na infância e, em grande parte dos casos, iniciar os tratamentos ortodônticos na infância pode ser uma forma de prevenir que os problemas se agravem.

Ainda assim, não há uma regra que define uma “idade ideal” para começar a usar aparelhos. Cada paciente tem suas particularidades e é o dentista quem deve avaliar o tipo de tratamento e quando iniciá-lo.

De forma geral, entende-se que, a partir dos sete anos, as crianças estão mais preparadas para os cuidados de manutenção e higiene dos aparelhos. Sendo assim, embora não seja uma regra estrita, essa é uma boa média de idade para começar os tratamentos ortodônticos.

É importante ressaltar que os tratamentos podem ser feitos na adolescência, na vida adulta e até mesmo entre idosos. Tudo depende das condições e das demandas dos pacientes e seus sorrisos.

Quanto tempo duram os tratamentos ortodônticos?

Outra grande dúvida dos pacientes é em relação ao tempo de duração dos tratamentos ortodônticos, afinal, pode ser difícil controlar a ansiedade para ver logo os primeiros resultados e o sorriso que desejam.

De um modo geral, um tratamento ortodôntico pode durar entre um e dois anos, mas é preciso ter em mente que isso não é uma regra irrefutável. Sendo assim, o tempo de duração depende de inúmeros fatores, relacionados, principalmente, à mecânica utilizada no tratamento, à gravidade da oclusão, à idade do paciente e até mesmo a problemas de hormônios ou uso de medicamentos.

No início dos tratamentos, o dentista consegue estimar uma média para a finalização das correções, no entanto, não se pode esquecer que esse tempo é apenas uma estimativa e que pode ser maior ou menor do que o previsto.

 

Se você está insatisfeito com o seu sorriso ou se percebe que o seu filho ou filha precisam de um tratamento ortodôntico, procure um profissional para ter melhores orientações sobre tipos de aparelhos.

Para se informar sobre valores e procedimentos, entre em contato com a gente! Os profissionais da DentCare Center estão prontos para lhe auxiliar da melhor forma.

Ligue para (21) 3411-1001, fale conosco pelo WhatsApp (21) 98552-2020 ou através do nosso site e marque uma avaliação! Lembre-se: postergar os tratamentos ortodônticos não é uma boa ideia, afinal, você e seus filhos merecem ter o sorriso que sempre sonharam o quanto antes.

Deixe uma resposta